Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos

Logo VN Cerveira mais AquaMuseu

Aquamuseu e Estação Hidrobioloxía “Encoro do Con” celebram o Dia Mundial dos Peixes Migradores

Peixes migradores1 1 980 2500
18 Abril 2018

Com o lema "Ligando Peixes, Rios e Pessoas", é celebrado no próximo sábado, 21 de abril, o "Dia Mundial dos Peixes Migradores" (WFMD: World Fish Migration Day). Com caráter transfronteiriço, o Aquamuseu do Rio Minho, de Vila Nova de Cerveira e a Estación Hidrobiológica “Encoro do Con”, da Universidade de Santiago de Compostela estão a desenvolver em conjunto uma ação de sensibilização alargada no terreno para dar a conhecer os peixes migradores do Baixo Minho e o efeito dos obstáculos nas suas migrações.

Várias organizações vão comemorar este dia organizando mais de 400 atividades em todo o mundo, tendo como objetivo consciencializar a sociedade das necessidades dos peixes migradores, garantindo que as redes fluviais naturais permaneçam conectadas, e que seja intermediária para que as que estão fragmentadas possam ser restauradas.

Desta forma, o Aquamuseu do Rio Minho, de Vila Nova de Cerveira e a Estación Hidrobiológica “Encoro do Con”, da Universidade de Santiago de Compostela, que desenvolvem em conjunto o projecto POCTEP Migra Miño-Minho, organizam uma atividade no rio Furnia incidirá sobre o impacto das barreiras na migração de peixes. Vai-se proceder à captura de peixes por pesca elétrica e conhecer as atividades que estão a ser realizadas no projeto Migra Miño-Minho. No Aquamuseu será realizada uma visita aos aquários e ao museu das pescas, que recria todo o percurso do Minho, as suas espécies e as tradições e atividades associadas à pesca, dando a conhecer os peixes migratórios, sua importância e ameaças.

A atividade começará no rio Furnia (Tomiño) às 15h15 e vai terminar no Aquamuseu (Vila Nova de Cerveira) às 18h30. Os participantes terão um autocarro gratuito em Vila Nova de Cerveira (14h00 no Centro de Coordenação de Transporte), em Tui (14h30 na Praça de Galicia) e em Tomiño (14h55, na Praça do Concelho) para levá-los ao rio Furnia e ao Aquamuseu, trazendo-os de regresso após conclusão da atividade.

O Projeto POCTEP Migra Miño-Minho (Proteção e Conservação das Populações de Peixes Migradores no troço internacional do rio Minho e seus afluentes) é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através do Interreg VA Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020. Procura melhorar a proteção e conservação do habitat fluvial da sub-bacia do troço internacional do rio Minho, desde a barragem de Freira até à foz com ações de requalificação dos canais fluviais e das espécies de peixes migradores presentes no rio Minho e seus afluentes; também promove a cooperação transfronteiriça entre autoridades e instituições com responsabilidades comuns na gestão da pesca fluvial.

A construção de barreiras transversais (barragens e açudes) tornou-se um dos principais fatores que provocaram a diminuição da população de peixes que habitam estes rios, pois tem um efeito direto sobre os movimentos migratórios dos peixes, impedindo-os de se mover livremente para completar os seus ciclos reprodutivos, acesso a áreas de alimentos ou, simplesmente, passar para outras seções da rede fluvial. Além dessas estruturas artificiais, interrompe-se o regime fluvial natural, fundamental para a reprodução dos peixes. O efeito desta fragmentação fluvial é sentido, especialmente, em espécies que preferem migrar para o mar ou para as seções superiores dos rios para completar seu ciclo de vida, o que as colocou em grave perigo de sobrevivência.

http://www.worldfishmigrationday.com